Saturday, June 07, 2014

Today and Forever/Hoje e sempre - Marta

Nota: Versão portuguesa mais abaixo

I know I wrote about this before, I know there’s not much left to say, and yet I can’t stop myself. I can’t ignore this day, and I don’t know how to express myself without writing.

I sit here looking at the blank page, wishing I could write something worthy of her, something that could honor her memory, but there’s not enough talent in the world for that, or at least I don’t have it.

I don’t think I had ever felt so betrayed in my life, one moment it was all perfect, and with one phone call everything changed. It has been 7 years and somehow it’s all still so clear in my mind. Every single second of that day and the ones that followed. All of what’s been said. Everything I felt. All the questions I had with no-one to ask, all the answers I gave wishing only they were right.

I don’t cry, I’m not that person, and yet I can’t hold the tears when I allow myself to go back to that day. It was a shock, a punch in the face, a welcome to adult life, where things are not always fair. I felt a kind of pain I didn’t know I could feel, I felt things I didn’t know I had in me.

I couldn’t understand how the rest of the world could keep going so naturally. I didn’t want to talk about it, but I also couldn’t stand talking about anything else, because nothing else seemed to matter.

Everything changed after that day. We didn’t always talk about it, that’s not the kind of family we are, because we need to be strong and take care of eachother, whatever it takes, but there’s was this silent agreement and everything changed.

She had a great spirit, and a huge heart, we had our dreams, and it’s hard to imagine where we would all be if she was still here, but she’s not, and nothing can bring her back. All we have left it’s her memory, what she taught us, and all we can do is try our best to honor her every day.

“Sometimes there are no words, no clever quotes to neatly sum up what happened that day. Sometimes you do everything right, everything exactly right, and still you feel like you failed. Did it needed to end that way? Could something have been done to prevent the tragedy in the first place? (…) Sometimes there are no words, no cleaver quotes to neatly sum up what happened that day. Sometimes, the day just… ends!”*


Hoje e Sempre – Marta

Sei que já escrevi sobre isto antes, sei que não há muito a acrescentar, mas não consigo evitar. Não consigo ignorar este dia, e não sei como me expressar sem a escrita.

Aqui me sento a olhar para a página em branco, desejando conseguir escrever algo digno da pessoa que ela era, algo que honra-se a sua memória, mas não há talento suficiente no mundo para isso, ou pelo eu não o tenho.

Nunca me senti tão traída na minha vida como naquele dia. Num momento tudo estava perfeito, e com um telefonema tudo mudou. Passaram sete anos e ainda está tudo tão claro na minha mente. Cada segundo desse dia, e dos que se seguiram. Tudo o que foi dito. Tudo o que eu senti. Todas as perguntas que eu tinha sem ninguém para responder, todas as respostas que dei sem saber se estavam certas.

Eu não choro, não sou essa pessoa, e no entanto não consigo segurar as lágrimas cada vez que me permito voltar a esse dia. Senti um tipo de dor que não sabia que podia sentir, senti coisas que não sabia que tinha dentro de mim.

Não conseguia perceber como o resto do mundo podia continuar tão naturalmente. Não queria falar sobre isso, mas também não aguentava falar sobre mais nada, porque nada mais interessava.

Tudo mudou depois desse dia. Nem sempre falamos nisso, não é o tipo de família que somos, porque precisamos de ser fortes e tomar conta uns dos outros, aconteça o que acontecer, mas houve um acordo silencioso, e tudo mudou.

Ela tinha um espirito fantástico e um coração enorme, tínhamos os nossos sonhos, e é difícil imaginar onde estaríamos todos se ela ainda estivesse aqui, mas não está, e nada a pode trazer de volta. Tudo o que nos resta é a sua memória, o que nos ensinou, e o tudo o que podemos fazer é dar o nosso melhor para honrá-la todos os dias.

“Às vezes não há palavras, não há citações brilhantes para resumir o que aconteceu naquele dia. Às vezes fazes tudo certo, tudo exactamente certo, e mesmo assim sentes que falhaste. Será que tinha de acabar assim? Poderia algo ter sido feito para evitar a tragédia? (…) Às vezes não há palavras, não há citações brilhantes para resumir o que aconteceu naquele dia. Às vezes o dia simplesmente…acaba”*


*Quote by Thomas Gibson as Aaron Hotchner In  Criminal Minds S04E26 

1 comment :

Susana Lage Pérola said...

Não sei onde estaríamos todos se a Marta ainda estivesse aqui mas uma coisa é certa, estaríamos todos unidos. Naquele dia há sete anos atrás não só perdi a minha querida madrinha como também aquilo de que me orgulhava tanto: a proximidade entre todos os Ferreiras. Isto entristece-me muito e tenho a certeza que à Marta também.