Monday, July 03, 2006



Amor, esse sentimento tão sincero e profundo que nos pode fazer brilhar e acreditar de novo ou que nos pode derrubar de modo tão impiedoso quanto inacreditável. O amor faz-nos ver o que de mais belo há nas pessoas e no mundo e sem que nos apercebamos disso a nossa vida ganha de novo um sentido tão definido e forte que todos os problemas e imprevistos parecem nada importar.
(...)
Infelizmente nem sempre a vida segue o rumo que desejamos e as pessoas que julgamos conhecer pregam-nos partidas traiçoeiras que nos magoam e que não conseguimos justificar… Os sentimentos mutuos que nos uniam e que nos faziam parecer um só parecem ter-se desvanecido… para ti!
As pequenas brincadeiras tomam agora um significado maior, só agora me apercebo do quanto nos divertimos juntos e da importância que tinhas na minha vida… relembro os momentos que vivemos e quando olho à minha volto tudo me faz lembrar de ti, do teu sorriso, do teu corpo, do teu olhar…
Reviro a minha cabeça à procura de respostas que não encontro, tendo justificar vezes sem conta a tua ausência por mais injustificável que seja… Não quero duvidar de ti, nem por em causa a importância que a nossa relação teve, mas parece difícil acreditar que algo tão forte tenha terminado de repente para ti. Como é possível que não sintas mais nada e que te seja agora indiferente? Quando há tão pouco tempo…
Tenho muita pena que não tenha resultado e que tudo tenha terminado de modo tão abrupto mas o que mais me custa é não conseguir não conseguir explicar o que aconteceu… Pergunto a mim mesma se terei alguma vez forças para voltar a amar e entregar-me de novo porque estou tão magoada que só me quero isolar do mundo inteiro.
Sei que tenho de reagir e que não me posso dar por vencida, mas por mais que tente às vezes não consigo evitar de pensar “Acreditei em ti, em nós, e agora estou nesta fossa, porquê continuar a insistir?”.
Quem me conhece receia pelo meu bem-estar e preocupa-se comigo, querem ajudar mas não podem porque na verdade por mais que tente pôr em palavras, só eu sei o que sinto neste momento… Os meus amigos dizem-me que tenho de ser forte, deixar de recordar a nossa história com a mágoa de ter acabado e agarrar-me às memórias amando-as pelo que me fizeram sentir na altura, ficando feliz por terem acontecido.
Por vezes apetece-me gritar com toda a gente por não pararem de apresentar “supostas” soluções para a minha dor e por a fazerem parecer tão insignificante, mas no fundo sei que têm (alguma) razão… “O que foi não volta a ser” e há que seguir de cabeça erguida e coração aberto para que na próxima o amor não nos passe ao lado.
Dói de mais perder alguém quem se ama e confia, mas infelizes são os que jamais descobrem o que é o amor.

Baseado em várias histórias reais e dedicado a todos aqueles que apesar de todas as desilusões continuam empenhados nesta tarefa que é amar.

6 comments :

k8tye said...

Enganaste... Gostei muito... Parece que todas essas palavras podiam ter saido da minha boca... Talvez todo este texto seja uma pequena parte do que me apetecia dizer...
Ler todo este texto é percorrer muito do que somos, é visitar muito do que muitas vezes fica por dizer..perceber....
E depois penso, se as coisas acontecem por uma razao, porque é que nunca sabemos ao certo qual é ela?... o "tem que ser" nem sempre chega... e quase sempre não apaga o vazio que uma pessoa deixa...
Mas as vezes julgo que as coisas so tem importancia para algumas pessoas... outras tem uma carapaça maior que o coração...
Ou então fingem melhor...
Na vida, parece que so temos duas opçoes: ou somos frios e não vivemos, ou somos sensiveis e sofremos.. O que não entendo é porque decidimos ser uma nas alturas que deviamos ser a outra?
Para além disso, surgem tantas outras duvidas....Porque é que fazemos com que alguem se mantenha ao nosso lado se quando nos afastamos isso não nos custa? Não nos faz repensar, voltar atrás...falar?.. Porque se decide que não dá, sem antes tentar? Ou porque se foge?
Porque se todos fingem, e se todos os dias somos apanhados na sequencia de erros e fingimentos de outrem, como saber quando é verdadeiro o que se diz, o que se demonstra, o que se vive? De facto, finge-se gostar, finge-se estar bem quando se está no maior buraco sem fundo...
Como saber se devemos lutar plo que queremos /amamos ou se devemos deixar ir... quando não sabemos o que se passa com a pessoa que queremos ao nosso lado...e sem querer também nos baralhámos?
Devemos lutar por algo que achamos amar? Mesmo quando julgamos não haver nada que se possa fazer? Ou devemos esquecer, mesmo sabendo que isso nos custa uns anos de vida?
Mesmo depois de tudo o que nos possam dizer, fica sempre uma parte de ná que precisa de ser tratada so por nos, depois de muito "bater com a cabeça"... Contudo, acho que nunca sabemos nada de nada... e volta não volta nos sentimos à toa...

E essa é a pergunta fundamental de toda esta divagação...que fazer quando não sabemos o que fazer?

bom texto**

Li said...

Nem por coincidencia eu venho aki por sugestao tua e reparo neste texto...tal cm diz a tua amiga K8tye, podia ter saido da mha boca estas palavras...
quem é racional pensa que se fosse diferente conseguia ser feliz...quem é emocional de mais acha que é patétioc pk se entrega sem medos, agarrando cm unhas e dentes a oportunidade para ser feliz...sorrimos ao amor...deixamo-nos enfeitiçar...
acreditamos que akelas palavras nao mentem e keremos tto sorrir e ser feliz...
no entanto tdo akilo foi fantasia...so saiu do nosso coraçao...erámos nós apenas quem desejávamos amar...o resto, tdo o resto era mentira...
e a pgt que se segue é "pk?pk a mim?será k nao percebeu k eu nao brincava?que via nele a oportunidade de ser feliz e de poder agarrar-me a vida?arranjar uma nova maneira de sorrir?" e dps penso...nao fui eu k o procurei...foi ele que veio ter cmg...pra ke se nao era pra me amar?se era pra brincar???
:( ha pessoas realmente mt más no mundo mas k nunca se apercebem disso, pk axam sp que smos objectos, sem valor...
afinal kd sofremos apenas nos dizem "estás a fazer-te de vitima"...posto isto so me resta...sofrer em silencio...ficar kieta no meu canto tentando minimizar akilo k sintimos...refugiando-nos no amor dos nossos amigos...
e tentando fingir k somos fortes e seguir em frente...
por tda a tua sensibilidade...um beijo gde..ja tenho saudades... ;)

k8tye said...

caramba... o comentario da li.... tao acertado que até doi... Caramba mesmo!! É que é tal e qual o que penso, o que sinto, o que faço... e mesmo pensando no que posso mais fazer, mesmo querendo dizer "tu sabes como sou, é impossivel nao saberes que me magoas ao fazer td isto, mesmo querendo perguntar "porque?" ou mesmo que queira convencer alguem que a falar é que td se resolve...sei que não posso fazer mais nada... e então volto para o meu canto, tal e qual como a li fala... As palavras do texto complementam-se com as palavras do comentario da li e eu volto a pensar... coisa inevitavel!!! :/ **** para as 2;)

Kathleen said...

Não podia pedir melhor complemento para o meu texto que os vossos comentários... Por vezes metemo-nos com as pessoas erradas e acabamos por nos magoar por isso tanta gente evita as relações (não sofrendo menos por isso,acredito...) Chega um momento em que temos de parar de procurar respostas e seguir em frente. Não devemos procurar desculpas para o que não é desculpável, temos de seguir em frente.

RdC said...

Foi como reviver tudo de novo e ainda doi muito:(

Li said...

É verdade kridas...sao situaçoes complicadas e tdo o k a k8tye diz é bem verdade...sabes bem k nos magoaram e nao adianta tentar perceber o porque pk nunca vamos perceber..simplesmente pk nao ha razao...se calhar estavamos na hora errada no local errado...
resta-nos seguir em frente cm a certeza de que no mundo ha mta gente k nos ama e k apesar de nao saber o k sentimos esta ali do nosso lado...nem k seja pra nos limpar as lagrimas...
bjinhos pas duas :D