Monday, October 24, 2011

“A vida seria melhor sem...”

 Note: Again I apologize to all international readers but there’s no translation for the word “saudade” so this one really had to be written in Portuguese.

Há pouco alguém pedia para completar a frase “A vida seria melhor sem...” ao que alguém respondeu “saudades” e fez-me pensar.
“Saudade” é um conceito tão vago... há saudades e saudades. Há a saudade dos momentos felizes do passado, saudades daquelas pessoas que nem sabemos bem porquê deixámos escapar das nossas vidas, saudades de alguém que está longe, saudades de quem está perto mas não da forma como desejamos, saudades de quem não vamos ver mais e saudades de quem se foi de repente sem a hipótese de uma despedida e não vai mais voltar.
Ninguém gosta de sentir saudade, pelo menos não no momento. Dói, por vezes desespera . É algo incontrolável que não obstante o mais que tentemos não conseguimos ignorar ou disfarçar. É algo que vem de dentro, que não se explica, que por vezes não tem razão. Temos saudades de pessoas que conhecemos recentemente, saudades daqueles que nos magoaram, saudades de quem sabemos que não pode ficar, saudades de quem não queríamos ter. A saudade é um sentimento intenso e irracional. Vai e vem, em marés, é imprevisível. É algo que se apodera de nós quando menos esperamos, que parece desvanecer-se e que volta a atacar em força quando acreditamos que já a tínhamos superado. É um sentimento que pode ficar adormecido por meses, anos até e ser despertado pela mais insignificante lembrança e nos derrubar de novo.
Mas seria de facto a vida melhor sem saudade?
A saudade é tudo isso mas é também o que nos recorda o quanto gostamos daquelas pessoas, o quanto aqueles momentos a que não demos o devido valor nos marcaram e que nos ensina a aproveitar todos os momentos como se fossem os últimos.
E quando a distancia se dissipa e o reencontro ocorre? E quando se relembram os velhos tempos e se partilham gargalhadas? E quando olhamos para trás e vemos que apesar do caminho difícil foram essas experiências que nos fizeram o que somos hoje? Será que tudo isso teria o mesmo valor se não houvesse saudade?
Teria aquele abraço apertado do teu melhor amigo o mesmo impacto? Aquele beijo de quem amas o mesmo sabor? Teria aquela noitada passada a jogar conversa fora o mesmo interesse? Perceberias tu finalmente o que realmente é importante na vida?
Sim, penso que poderíamos viver se não existisse saudade mas não sei se seria melhor.

7 comments :

Carlos Caetano said...

Vou "roubar" e partilhar... estavas inspirada... ou melhor... és alguém inspirada!!!
Parabéns - "És diferente".

Kathleen said...

Força! e obrigada :)

Bagaça said...

Amei... tu sim és divine :)
É tão bom matar a saudade ;)

Continua ;)

Beijinhoooo com saudade *

raquel said...
This comment has been removed by the author.
raquel said...

Mais uma vez espectacular.. e ainda por cima fala sobre a minha palavra, preferida, saudades :D
Continua assim xuxu :p

Kathleen said...

Thanks Di =)

Kathleen said...

Oh minha Raquel obrigada :)